Nacional
Teresa Guilherme

'Espero ser surpreendida'

Sex, 16/09/2011 - 15:58

Onze anos depois de ter sido a cara do primeiro reality show em Portugal, mantém a convicção: “Ninguém está preparado para se tornar vedeta da noite para o dia.”

Em entrevista à NOVA GENTE, Teresa Guilherme fala sobre reality shows e os concorrentes à fama:

O que mudou em 11 anos de reality shows?
Na verdade, a Casa dos Segredos é o Big Brother. O que mudou foi o que se foi fazendo, acrescentando ou mudando regras, houve sempre uma evolução dentro do jogo.

Em 2000, disse sobre o Big Brother: “Eles não têm noção das consequências da exposição a que vão estar submetidos. Ninguém está preparado para se tornar numa vedeta do dia para a noite.” Ainda pensa assim?
Continuo a dizer exatamente a mesma coisa, eles não têm noção das consequências. Agora há outra perspetiva da que havia nessa altura, que os miúdos não sabiam que iam ficar famosos. Alguns pensam que o facto de se mostrarem na televisão lhes vai abrir portas: uns querem ser atores, outros cantores, etc.. E até pode ser que isso aconteça. Mas, normalmente, a fama destes concorrentes, seja de reality ou talent shows, não significa o início de uma carreira.

O que gostaria mais de ver acontecer no programa: um romance ou uma cena de violência?
Odeio cenas de violência e tive dos maiores desgostos quando aconteceu o pontapé do Marco contra a Sónia. Ninguém está livre de perder a cabeça lá dentro. Irritarmo-nos é normal, levantar a mão e agredir já é irracional. Espero que não aconteça, prefiro que se apaixonem. Terem sexo é-me indiferente, mas apaixonarem-se... isso já gostava.

Leia tudo na edição desta semana, já nas bancas.

Siga a Nova Gente no Instagram