Internacional
Simone Biles

Campeã olímpica recorda abusos sexuais: «Dormi muito porque era o mais parecido com a morte»

Sex, 10/07/2020 - 19:40

Simone Biles foi uma das vítimas de abusos sexuais por parte do médico da federação norte-americana de ginástica, Larry Nassar.

Simone Biles, de 23 anos, falou pela primeira vez sobre os abusos sexuais que sofreu por parte do médico da federação norte-americana de ginástica, Larry Nassar, que foi condenado por pedofilia e abuso sexual de centenas de atletas. Em entrevista à Vogue norte-americana, da qual é capa do mês de Agosto, a campeã olímpica revelou pormenores daquele que considera ter sido um períodos mais difíceis da sua vida e contou que «não queria admitir» a si mesma o que tinha acontecido.

Simone Biles recorda que foi quando ouviu a história da sua ex-companheira de equipa, Maggie Nichols, em janeiro de 2018, que pela primeira vez se deu conta qua também ela tinha sido vítima de abusos.

«Senti que tinha recebido o mesmo tratamento. Lembro-me de procurar no Google 'abuso sexual', porque sei que algumas miúdas passaram por algo muito pior do que eu, posso garanti-lo. Ao início pensei que não tinha sido abusada, porque não tinha sido na mesma medida das outras raparigas, algumas amigas minhas passaram por situações muito, mas muito más. Eram as favoritas dele. Como no meu caso não era assim, senti que não se tinha passado comigo», contou.

«Estava muito deprimida»

Tentando aprofundar o assunto, a norte-americana admitiu que as suas realizações profissionais e o facto de se ter tornado uma super estrela do mundo da ginástica funcionaram como uma espécie de «bloqueio mental» relativamente ao assunto. «Sentia que sabia, simplesmente não o queria admitir para mim mesma. Sabia que não era preciso ser perfeita, mas senti que a América queria que eu fosse. Quando um americano ganha nos Jogos Olímpicos torna-se no 'querido da América', por isso eu pensava 'como pode isso acontecer a uma querida da América?'».

Simone Biles recorda ainda que passou momentos bastante complicados e depressivos quando o caso Nassar foi revelado publicamente. «Estava muito deprimida. Dormi muito porque para mim era o mais parecido com a morte, sem necessidade de me magoar. Foi um escape a todos os meus pensamentos, do mundo, de tudo o que estava a acontecer. Foram tempos difíceis», afirma.

Texto: Inês Marques Fernandes; Fotos: Instagram

 

Siga a Nova Gente no Instagram