Nacional
Ricardo Martins Pereira

Arrasado por responsável da APAV: "Não quer saber das mulheres que são atacadas"

Qui, 19/10/2023 - 14:42

Ricardo Martins Pereira ironizou uma notícia que dá conta que o Governo vai atribuir subsídio de desemprego às vítimas de violência doméstica.

Ricardo Martins Pereira está no centro da polémica, por um comentário que fez sobre violência doméstica. É que, esta quarta-feira, 18 de outubro, António Costa revelou que o Governo vai atribuir subsídio de desemprego às vítimas. 

No seguimento, o ex-marido de Ana Garcia Martins recorreu às redes sociais para reagir à notícia. "Querem ver os números da violência doméstica a disparar em 3,2,1...".

A declaração de Ricardo Martins Pereira chegou à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. E, esta quinta-feira, 19 de outubro, no LinkedIn, Raquel Segadães, responsável pela comunicação da instituição, mostrou-se chocada. "Há menos de uma semana partilhei uma crónica da Leonor Caldeira em que se falava de como a violência doméstica é o crime que mais mata em Portugal. Ontem, no seguimento desta notícia da SIC Notícias (https://lnkd.in/dPx9hUCf), o Ricardo Martins Pereira achou sensato fazer esta história no Instagram. Este discurso é para lá de perigoso vindo de qualquer pessoa, mas acima de tudo de uma figura pública que é dona de órgãos de comunicação social, onde tem espaço para escrever as suas opiniões livremente", começou por escrever.

"Um subsídio de desemprego é o mínimo dos mínimos"

Raquel Segadães não poupou nas palavras sobre Ricardo Martins Pereira. "O Ricardo, que anda nisto da comunicação social e dos meios digitais há muitos anos, tem obrigação de conhecer as consequências deste tipo de declarações. Por isso, só me resta concluir que ele não quer saber das mulheres que são diariamente atacadas pelos seus maridos, namorados ou companheiros. Não dá valor às vidas delas, aos seus direitos ou à sua subsistência", salientou.

A responsável pela Comunicação da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima fez questão ainda de destacar a importância do subsídio que o Governo vai começar a atribuir. "Porque quando vítimas de violência doméstica se vêem obrigadas a fugir dos seus agressores, mudando de cidade, perdendo o emprego e abandonando as suas raízes, um subsídio de desemprego é o mínimo dos mínimos que o Estado, que nos representa a todos enquanto sociedade, pode fazer. Os números de violência doméstica sobem de ano para ano porque infelizmente ela existe e felizmente há cada vez menos tolerância perante a violência conjugal e cada vez mais redes de apoio para quem a sofre".

Raquel Segadães terminou ainda o seu texto com uma crítica a Ricardo Martins Pereira. "É a estas pessoas que devemos dar voz, não a quem acha que um subsídio provavelmente miserável será razão para alguém decidir criar todo um moroso e doloroso processo de violência doméstica, colando a si própria o ainda estigmatizante rótulo de vítima", finalizou.

 

Texto: Carolina Marques Dias; Fotos: redes sociais

Siga a Nova Gente no Instagram