Nacional
Queima das Fitas do Porto

A jovem nua, os vídeos dos excessos e o comunicado da FAP

Qui, 09/05/2019 - 17:01

Tudo começou no dia 5 de maio. Os estudantes sairam à rua para sete dias e sete noites de festa, mas nem tudo tem sido uma animação e a Federação Académica do Porto já teve de atuar

A Queima das Fitas do Porto de 2019 começou no sábado, dia 5 de maio, e tem sido título de dezenas de notícias. A grande maioria por acontecimentos «indignos».

Os dias e as noites que deviam ser marcados pela diversão, pela festa e pela música, acabaram por ficar marcados por estudantes alcoolizados, pela nudez e por uma corrente de vídeos que retratam os excessos.

No interior do queimódromo viram-se jovens a despirem-se, alegadamente, em troca de bebidas alcoólicas grátis e  movimentos de cariz sexual. Os responsáveis por algumas das barracas de bebidas no recinto filmaram momentos considerados «indignos» e a Federação Académica do Porto (FAP) decidiu emitir um comunicado a condenar tais atitudes. 

«A Federação Académica do Porto é completamente contra qualquer tipo de violência sexual, violência de género e violência física, ou de qualquer outra ordem. De forma a tentar prevenir situações desta natureza, decidiu aliar-se ao Ponto Lilás – uma iniciativa que prevê ações de prevenção de comportamentos de risco e ações de sensibilização para uma maior responsabilidade social – sendo esta uma ação conjunta e pioneira em Portugal.»

O caso mais alarmante

Entre música e excessos, um dos casos mais alarmantes dos festejos que está a chocar o País, é o da jovem de 20 anos encontrada seminua.

Tudo aconteceu esta quarta-feira, dia 8 de maio. A estudante foi encontrada por habitantes num jardim junto ao recinto da Queima das Fitas, pelas 7h00, despida, com vestígios de sangue no corpo.

Depois de alguns exames e de a jovem ter dado uma justificação plausível para as escoriações e para o vestígios de sangue que apresentava no corpo, a Polícia Judiciária do Porto afastou a hipótese de a mulher ter sido alvo de um crime de violação.

No momento em que foi encontrada, a estudante ainda estava visivelmente alcoolizada e foi levada para o Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos.

O comunicado da FAP

Leia o comunicado da Federação Adacémica do Porto na íntegra:

«A Queima das Fitas do Porto e as suas Noites da Queima são, desde há muitos anos, um dos acontecimentos mais queridos da cidade do Porto reconhecendo-se, por excelência, como a festa dos estudantes. É baseado nesta premissa que, todos os anos, a FAP e os estudantes da Academia do Porto organizam esta atividade, de forma voluntária e sob o compromisso de ser uma festa “Feita de estudantes para estudantes”

A Federação Académica do Porto é completamente contra qualquer tipo de violência sexual, violência de género e violência física, ou de qualquer outra ordem. De forma a tentar prevenir situações desta natureza, decidiu aliar-se ao Ponto Lilás – uma iniciativa que prevê ações de prevenção de comportamentos de risco e ações de sensibilização para uma maior responsabilidade social – sendo esta uma ação conjunta e pioneira em Portugal.

A FAP está a tomar todas as ações possíveis para garantir a dignidade, conforto e segurança de todos. Como organização, tem apelado consecutivamente ao respeito da integridade física, mental e moral de qualquer um que se encontre a usufruir do que lhe é proporcionado na Queima das Fitas do Porto.

Depois de observar a captação de imagens de comportamentos indevidos (na sua grande maioria até mesmo indignos), que atentam em muitas das vezes contra o respeito pelos valores humanos, e sua posterior divulgação, por parte das barracas dentro do recinto, achou necessário proibir que tais situações continuassem a acontecer. Assim sendo, todas as barraquinhas que o fizerem serão devidamente sancionadas – visto que a recomendação prevista no regulamento das barraquinhas sobre o uso de imagens/escrita sexista, e/ou que promova o discurso de ódio ou incentivo a qualquer tipo de violência, não foi cumprida.

A Queima das Fitas do Porto vive das suas pessoas e de como elas se sentem a vivê-la e não é aceitável que tais comportamentos sejam apoiados e permitidos ou sequer tolerados. Tais comportamentos, que atentem contra a dignidade dos estudantes, seja em que termos forem, não contarão com a cumplicidade da FAP, nem da esmagadora maioria dos estudantes da Academia, sendo que qualquer atitude desta natureza terá tolerância zero!

A Direção da FAP lamenta e repugna todos os casos que possam violar a dignidade humana e que ponham em causa os Direitos Humanos, considerando ainda que a violação de privacidade é um ato igualmente deplorável e que deve ser devidamente punido.

A Queima das Fitas, tal como a cidade do Porto, “não é apenas um lugar, é um sentimento”, e queremos que este sentimento seja eterno na vida de todos os estudantes como um dos melhores momentos das suas vidas. Não vamos pôr em risco esta celebração.

Somos Academia!»

Texto: Redação WIN – Conteúdos Digitais; Fotos: Reprodução Instagram

Siga a Nova Gente no Instagram