Nacional
Pedro Dias entregou-se às autoridades

"Não podia ser fugitivo a vida toda"

Qua, 09/11/2016 - 09:59

Quase um mês depois da sua fuga, o homicida de Aguiar da Beira entregou-se à polícia judiciária e reclama inocência.

Os 28 dias de fuga chegaram ao fim. Pedro Dias entregou-se terça-feira, dia 8, às autoridades policiais, em Arouca, pelas 21h45.

A detenção do ex-militar foi acompanhada pela RTP, a pedido do prórpio, com o intuito de "preservar a segurança e a integridade".

Nas imagens, passadas na RTP 3, Pedro Dias é visto a entrar algemado num carro policial. À RTP disse que se entregou porque "não podia ser fugitivo a vida toda".

Ao que parece, o fugitivo estava escondido em casa de uma amiga de família, uma professora de história reformada, e deixou um bilhete a um familiar a confirmar que se ia entregar.

Pedro Dias confessa nunca ter abandonado o país. Este confirmou que esteve sempre num raio de 200 quilómetros a partir de Arouca e que durante a fuga chegou a atravessar o rio Douro a nado. Na habitação da amiga que o recebeu permaneceu cerca de 15 dias, onde viveu com boas confições.

Segundo a estação pública, que gravou uma entrevista ainda não divulgada com o ex-fugitivo, Pedro Dias nega ter matado alguém, mas também não explica o que aconteceu em Aguiar da Beira.

"Fui perseguido como um animal", afirmou. "Cheguei a ouvir comentários de que era naquele dia que me iriam caçar [matar]", explicou, dizendo que ouviu tiros para o ar, aquando da sua perseguição.

Chegado às instalações da PJ de Guarda, Pedro Dias, acusado de matar um militar e um civil, em Aguiar da Beira e de causar ferimentos a um militar da GNR e a outras duas pessoas, será presente ao juiz do Tribunal da Guarda na quinta-feira à tarde

Texto: Marta Lopes

Siga a Nova Gente no Instagram