Saúde e Beleza
Nutrição

Como atrasar o envelhecimento com a nutrição ortomolecular

Qui, 05/09/2019 - 08:00

Todos os milhões de reações químicas que têm lugar no nosso organismo utilizam o oxigénio que respiramos. Esta reação química a partir do oxigénio produz os radicais livres, que, em excesso, podem ser tóxicos para o organismo.

Artigo de opinião

Por Tomás Barbosa, Nutricionista

É possível combater o envelhecimento e lutar contra certas doenças, fortalecendo as armas naturais do nosso organismo e controlando a produção de radicais livres.

Todos os milhões de reações químicas que têm lugar no nosso organismo utilizam o oxigénio que respiramos.

Esta reação química a partir do oxigénio produz os radicais livres, que, em excesso, podem ser tóxicos para o organismo.

Dispomos, porém, de um sistema de defesa composto de moléculas antioxidantes, que têm por vocação destruir os radicais livres em excesso.

Este sistema sustenta-se num equilíbrio permanente: produção de radicais livres por um lado, eliminação de radicais livres pelos antioxidantes por outro.

Qualquer desequilíbrio, demais radicais livres produzidos ou antioxidantes insuficientes, produz um distúrbio que nos é prejudicial e pode estar na origem de algumas doenças e do envelhecimento precoce, geralmente como consequência de uma alimentação desequilibrada.

O stresse oxidativo representa simplesmente a vitória dos radicais livres sobre as nossas defesas antioxidantes, e traduz-se numa espécie de agressão biológica do organismo.

Dito de outra maneira, o stresse oxidativo pode entender-se como o balanço negativo entre a produção de radicais livres e o conjunto das nossas defesas antioxidantes.

É possível avaliar o nosso próprio risco de stresse oxidativo contabilizando e comparando os fatores de agressão dos radicais livres (stresse, exposição solar, alimentação pró-oxidante (bebidas alcoólicas, doces, refrigerantes, vinho branco, alimentos grelhados), hábitos tabágicos, poluição, fadiga, doença, desporto intensivo, envelhecimento, excesso de peso, e os antioxidantes de que dispomos (frutos e vegetais crus, legumes secos, oleaginosas, cereais integrais, frutos do mar, crustáceos, peixe, miudezas, chá verde, vinho tinto).

É importante modificarmos certos hábitos e comportamentos para fazer inclinar a balança para o lado certo.

Com efeito, se, como ficou bem expresso, o stresse, o tabaco, a exposição solar, certo tipo de alimentos e modos de preparação são mais oxidativos que outros, existem também outros fatores que provêm do meio exterior que podemos fomentar: estou a falar principalmente de uma alimentação saudável, especialmente rica em frutos e legumes, que constitui o nosso grupo de aliados no combate ao stresse oxidativo e ao consequente envelhecimento precoce.

O Check-Up Ortomolecular, que inclui diversos exames como o Mineralograma, o Perfil Vitamínico, a Pesquisa de Metais Tóxicos, a Videomicroscopia Ótica, o Perfil Alérgico-Alimentar e a Avaliação da Idade Biológica, é o meio de diagnóstico indicado para descobrir-se o caminho da longevidade, pois permite detetar a tempo os desequilíbrios no organismo que podem desencadear um processo de envelhecimento precoce e contrariá-lo, atrasando o nosso relógio biológico de uma forma simples, eficaz e sem riscos para a saúde.

Através da nutrição ortomolecular, da utilização regular de suplementos alimentares, de programas de reeducação alimentar e comportamental e de modelação facial e corporal, é possível dotar o organismo dos seus próprios mecanismos de defesa que o torne dia após dia menos vulnerável, mais forte e mais saudável.

A solução está sempre dentro de nós!

 

Tire as suas dúvidas

Sabia que pode tirar as suas dúvidas sem se quer sair do sofá? Pois, é verdade. Através do e-mail saude.novagente@worldimpalanet.com poderá ter a resposta que precisa para o seu estado de saúde.

O tempo de resposta ao mesmo vai depender do volume das mensagens recebidas dos leitores.

 

Texto: Dr. Tomás Barbosa – Nutricionista da Clínica do Tempo®

Siga a Nova Gente no Instagram