Nacional
Madjer

E a mulher revelam novidade: "Vamos casar pela igreja no próximo ano"

Dom, 03/12/2023 - 16:00

O antigo jogador de futebol de praia e a bailarina deram o nó no civil em 2016, mas agora querem trocar alianças perante Deus. Foi durante os preparativos para este Natal que o casal contou a novidade à NOVA GENTE.

O ano de 2023 está a chegar ao fim e Madjer e a mulher, Lynn Saraiva, já estão de olhos postos em 2024. O novo ano traz com ele um grande acontecimento familiar. “Vamos ter festa! Vamos casar pela igreja no próximo ano”, contou à NOVA GENTE de sorriso rasgado a mulher que disse o “sim” no civil ao antigo jogador de futebol de praia em 2016. “Achámos que fazia todo o sentido que fosse agora. A Eva [filha de ambos] tem cinco anos e já vai poder participar. Vai ser em setembro, mas ainda não começámos com os preparativos”, acrescentou ainda a bailarina. 

Madjer juntou os três filhos – Bernardo, de 20 anos, fruto de um anterior casamento, Kyara, de 11, fruto da sua relação com Marta Cruz, e Eva, de cinco, sua filha em comum com Lynn – para uma sessão fotográfica para a nossa revista, e na ocasião foi possível perceber que a união familiar impera. “O sucesso de qualquer relação passa por não modificarmos a nossa maneira de ser. Eu sou eu próprio, a Lynn é ela própria, com os defeitos e virtudes que temos. Para além do amor que temos, há esta união familiar dos cinco”, referiu o coordenador da Federação Portuguesa de Futebol na modalidade que praticou. 

Filha mais nova ainda acredita no Pai Natal

Em contagem decrescente para o Natal, Madjer revelou alguns dos preparativos para esta época festiva. “Fazemos as decorações todos juntos. Normalmente, eles acham piada à árvore, mas depois sou eu e a Lynn que acabamos por fazer o resto. A Eva ainda acredita no Pai Natal e eu faço questão de alimentar isso. Com os mais velhos houve uma altura em que me vestia de Pai Natal e já não os conseguia enganar. Continuamos a manter as mesmas tradições, que vêm do tempo da minha mãe. Há sempre alguém que se veste de Pai Natal e batemos os tachos quando o Pai Natal chega”, contou divertido. 

De acordo com a tradição que acompanha Madjer desde a infância, ao bacalhau junta-se, na ceia de Natal, o frango, e não o peru. “A minha mãe fazia frango porque era mais tenrinho. Fazia frango recheado e o frango ficou. Mas delegamos tudo o resto. Cada um tem a sua função. No ano passado ficámos com o marisco e com uma parte dos doces. Este ano ainda não sabemos.” E quem é que cozinha? “O chef lá de casa é o Madjer. A especialidade dele é ‘massa cansada’, que é uma massa de tinta de choco”, explicou Lynn. “Salteio o camarão, leva um bocadinho de natas, e meto um bocadinho de mel para dar aquele toque, antes de juntar à massa”, desvendou o antigo futebolista.

Com três filhos, é impossível não pensar atempadamente nos presentes, mas para não comprar aquilo que não vai ter utilidade, Madjer faz uma lista com a ajuda da mulher. “Vemos o que é que eles precisam mais e colocamos na lista. Sou contra o consumismo, e o Natal também tem de fazer parte da educação”, explicou. Já para Lynn, este ano decidiu optar por um presente diferente. “Fui percebendo pelas conversas com a minha mulher que havia uma coisa que ela gostava de mudar no corpo porque mexia com a autoestima dela. Principalmente depois de ter tido a Eva e de ter amamentado, percebi que ela gostava de aumentar o peito. Eu fui criado por cinco mulheres e percebo perfeitamente isto. Por isso, antes do Natal vai fazer a cirurgia na clínica Onyx”, revelou. “Nunca foi uma coisa em que pensasse, até porque para dançar não fazia sentido ter peito grande. E não é isso que está em causa. Depois de ter amamentado, o peito ficou muito diferente e eu gostava de ficar com o peito mais bonito. Além disso, sei que não muda nada se tivermos outro filho, e mesmo com implantes posso voltar a amamentar. Isso deixou-me mais tranquila”, acrescentou Lynn. Até porque esse é um dos desejos do casal. “É algo que queremos. Tencionamos ter mais um filho, mas somos muito terra-a-terra e nos dias de hoje não é uma decisão fácil de tomar”, ressalvou Madjer.

Fora das competições, o antigo jogador de futebol de praia tem agora mais tempo para a família. E se há coisa que lamenta, olhando para trás, é o facto de não ter estado tão presente na vida do filho mais velho, Bernardo, quanto gostaria. “Na altura, eu competia e tenho alguma tristeza por ter perdido alguns momentos importantes. Ele agora já não é um menino de colo. Com elas consigo acompanhar as etapas mais de perto e é fantástico. A paternidade muda a nossa vida radicalmente, sobretudo na forma como amamos.”

Gostava de ter jogado profissionalmente com o filho

Bernardo é o único rapaz e tem seguido as pisadas do pai na areia, mas Madjer garante que nunca o empurrou para uma carreira no futebol de praia. “Ele está a tirar o curso de Gestão de Recursos Humanos na faculdade e não houve qualquer interferência na escolha. Ele é virado para o desporto, mas com a cabeça muito focada nos estudos e naquilo que quer em termos de carreira”, revelou, acrescentando: “A Eva é mais focada na dança e na ginástica, e a Kyara adora cantar, tem um talento natural.”

Madjer encerrou a sua carreira em 2019 e garante que está bem resolvido com essa decisão, até porque não lhe faltam projetos. “Costumo dizer que fiz bem o luto. A única tristeza que tenho é de não ter conseguido partilhar o campo com o meu filho. Gostava de ter jogado, nem que tivesse sido um único jogo, em situação profissional, com ele. De resto, sinto-me preenchido e realizado. Tenho a Madjer Cup, o torneio de formação infantil na Figueira da Foz, e estou a tirar um curso superior de Gestão do Desporto. Estou no terceiro ano. Sempre soube que precisava de ferramentas para a pós-carreira desportiva.” 

Texto: ANDREIA VALENTE; Fotos: TITO CALADO e arquivo Impala

Maquilhagem e cabelos: All ABOUT MAKEUP; Produção: ZITA LOPES  

Siga a Nova Gente no Instagram