Nacional
Lembra-se de Maria Bradshaw?

Ex-concorrente do Ídolos sofre com distúrbios e doença

Sex, 14/02/2020 - 11:05

Maria Bradshaw, ex-concorrente do Ídolos, abriu o coração e partilhou com os seguidores o problema de saúde que a persegue há dois anos

Maria Bradshaw deu-se a conhecer aos portugueses em 2010, na quarta edição do programa Ídolos. Ganhou centenas de fãs e concretizar o sonho de cantar. Porém, nem tudo foi um mar de rosas na vida depois da participação no concurso de talentos da SIC.

Esta quinta-feira, dia 13 de fevereiro, a cantora, de 30 anos, abriu o coração aos seguidores, no Instagram, e contou o drama que viveu com o corpo há dois anos. Ao mostrar várias fotografias onde está extremamente magra, Maria explicou que luta contra distúrbios alimentos e a doença de Crohn.

«Custa-me ver estas imagens. Para além de custar, dói muito. Já as quis apagar muitas vezes, porque fazem parte de um passado muito negro meu e de uma das piores fases da minha vida. Mas tenho-as todas guardadas e volta e meia faço um scroll e revivo estes momentos. Revivo-os precisamente para me relembrar que nunca mais quero voltar a este sítio. Sei exatamente o que sentia e o que pensava em cada um destes momentos (e tantos outros registados em fotografia). Estas imagens foram há pouco mais de dois anos. Eu era profundamente infeliz. Profundamente», começou por explicar.

A artista chegou ao extremo de se pesar em jejum, ir ao ginásio em jejum e comer apenas uma maçã, antes de se pesar novamente. «Tudo começou com uma dieta. Rapidamente se tornou numa dependência quase como se de uma droga se tratasse. Juntamente com a obsessão da comida se juntou a obsessão do ginásio. Os distúrbios alimentares desenvolvem-se em nós sem sequer darmos conta. Pesava-me em jejum mal acordava, ia ao ginásio em jejum, voltava, comia uma maçã e pesava-me logo e pensava 'bem, amanhã treino o dobro para queimar isto' e por aí fora.»

«Diagnosticaram-me com doença de Crohn»

Ao distúrbio alimentar e à obsessão pelo corpo juntou a doença de Crohn. O organismo de Maria Bradshaw estável mais vulnerável que nunca. A depressão também acabou por chegar. 

«Pesava-me entre 7 a 10 vezes por dia. Quanto menos comesse e mais treinasse, mais ia emagrecer (óbvio). O meu organismo rapidamente me começou a dar sinais de alerta vermelho, mas eu nunca quis dar importância, porque mais importante era treinar e não comer. Foi nesta altura que me diagnosticaram com doença de Crohn e o meu corpo já nem absorvia o pouco que eu comia. Cheguei a perder dois quilos num só dia por ir à casa de banho com crises. Fiquei anémica durante muito tempo, deixei de ter a menstruação durante um ano. Entrei em depressão profunda neste processo e sofria de uma anorexia nervosa. Cheguei a pesar 44,6 quilos. O meu peso médio deve ser 57/58 quilos.»

De acordo com o site da CUF, a doença de Crohn é uma doença inflamatória crónica do intestino. A inflamação pode afetar qualquer parte do tubo digestivo, sendo as zonas mais frequentemente envolvidas as porções terminais do intestino delgado.

Maria Bradshaw inspirou-se em Jessica Athayde

Enquanto tentava ultrapassar os distúrbios, Maria recebeu a «ajuda» de Jessica Athayde. A cantora ouviu uma entrevista em que a atriz falou de como começou a lidar com os distúrbios alimentares e mentalizou-se que também tinha de o fazer. 

«Não há um dia que passe que não pense no que estou a comer, no que me vai fazer, no emagrecer e engordar, no exercício físico que faço ou não, etc. Isto porque quem sofre de distúrbios alimentares (sejam eles de que tipo forem), nunca deixa de viver sem eles. Lembro-me muito bem que a primeira vez que comecei a ter alguma noção disso foi quando há uns tempos a Jessica Athayde numa entrevista disse isso mesmo 'nunca deixas de ter um distúrbio alimentar. Tu aprendes a viver com ele'.»

«Não queres voltar a estar doente como estavas»

Por fim, Maria deixa um conselho a outras mulheres que podem estar a passar por uma situação semelhante. «Apesar disto tudo, o que eu penso e tento manter como um mote de inspiração diário é: não queres voltar ao que eras. Não queres voltar a estar doente como estavas. Ama-te como és, aceita-te como és, um dia de cada vez.»

«Honestamente não sei porque é que estou a partilhar isto aqui. Sei que o propósito da minha plataforma é a partilha da realidade da minha vida e acima de tudo a partilha de amor. Sei que há tanta, tanta gente a passar diariamente por batalhas emocionais, psicológicas e físicas tão delicadas, complicadas e complexas. Eu sou uma delas. Houve alguém que me disse (algumas vezes) 'depressão é doença de rico'. Era das pessoas mais importantes da minha vida na altura mas nunca conseguiu compreender o que eu estava a viver. Não tinha culpa. Acho que senti que devia partilhar isto porque sei que, com tempo, podemos ficar melhores, podemos ser melhores. Um dia de cada vez. E talvez desse lado haja alguém que se relacione com isto e se sinta menos só. Porque eu sei o que é viver na profunda solidão (um dos sintomas de depressão) de me sentir sozinha, mesmo estando rodeada de pessoas que me quisessem ajudar», explicou ainda. 

Maria Bradshaw conclui dizendo que hoje está mais segura de si mesma e pronta para enfrentar qualquer distúrbio que a venha importunar. «O primeiro passo é saber admitir que algo não está bem em nós e procurar ajuda. Hoje sou uma mulher mais consciente que, se calhar pela primeira vez teve a coragem de enfrentar, sem medos, este sentimento e partilhá-lo. Com amor, sempre com muito amor», findou.

Percorra a galeria e veja o antes e o depois de Maria Bradshaw. 

Texto: Mariana de Almeida; Fotos: Impala e reprodução Instagram

Siga a Nova Gente no Instagram