nacional
José Wallenstein

Fala sobre a morte do filho: "Infelizmente o Simão não resistiu"

Sáb, 11/03/2023 - 18:00

José Wallenstein falou também da vez em que pensou matar os irmãos

José Wallenstein, de 63 anos, esteve "como é" no “Alta Definição“, de hoje, sábado, dia 11 e, como é hábito do programa de Daniel Oliveira, fez algumas declarações surpreendentes sobre a vida pessoal.

“Fui uma criança muito desejada porque os meus pais perderam à nascença um irmão meu, que faleceu no parto”, começou por explicar. “Tinha o cordão umbilical à volta do pescoço e os meus pais rapidamente tentaram ultrapassar esse trauma.” De seguida, o ator falou sobre os irmãos. “Fui muito amado. Aos cinco anos aparece-me não um, mas dois irmãos. Nem a minha própria mãe sabia, só soube no parto que eram gémeos”, contou.

E contou mais pormenores, relatando um episódio arrepiante. “Invadiram-me o meu espaço afetivo de uma maneira brutal. Podia ter-me tornado num criminoso porque teve um tal impacto em mim, que um dia que estava com os meninos com um mês ou dois, entrei no quarto deles com uma tesoura e estava a escolher qual é que matava primeiro. A minha mãe, felizmente, entrou, agarrou-me no pulso e perguntou-me [com calma] o que é que eu estava a fazer. Não sei se não teria matado um deles.”

 

"Infelizmente o Simão não resistiu"
 

Durante esta conversa intensa, José Wallenstein falou ainda sobre a morte do filho mais velho, Simão. O bebé foi diagnosticado com trissomia 21 e com uma malformação cardíaca, o que lhe poderia vir a resultar em infeções respiratórias. “Tinha um diagnóstico vão porque, segundo dados da época, metade das crianças com trissomia nasce com uma deficiência na formação cardíaca. A perspetiva era ele conseguir sobreviver até um ano de idade e poder ser operado. Na altura, só se podiam operar crianças com aquele problema até um ano de idade. Infelizmente, o Simão não resistiu”, revelou o ator que na altura tinha 26/27 anos.

Fiz o que foi possível, o máximo, naqueles cinco meses da vida do Simão. Dei a minha vida a ele, mas não consegui lutar contra a natureza e a fatalidade da morte”, adiantou. “Eu fui à luta. Com trissomia ou sem trissomia, é teu filho, é sangue do teu sangue. Filhos para mim são as coisas mais importantes.”

“Uma malformação cardíaca é muito difícil. Não sou médico, nem cirurgião e não pude fazer nada. A natureza decidiu por mim”. Após esta dolorosa perda, o artista sentiu-se tristíssimo. “A perspetiva era ele sobreviver, ser operado com um ano e ter uma vida com um filho com Trissomia 21, com o que tudo isso representa. Eu vejo, é difícil. Felizmente a natureza resolveu o problema. A perda de um filho é uma coisa terrível, mas, ao mesmo tempo, há uma sensação de alívio, digo com toda a honestidade (…) É um possesso, é um luto que se faz e depois vai-se percebendo que afinal foi melhor assim. A natureza se calhar decidiu bem. Eu não fiz nada, a natureza decidiu por mim. Portanto, isso pacifica-nos de alguma maneira”, rematou.

 

Esta entrevista foi muito elogiada pelos telespectadores: “que Senhor”, “gigante ator”, “mais uma excelente entrevista!” e “muito bom” são apenas alguns dos exemplos.


Recorde-se que, atuamente, José Wallenstein está na antena da SIC na novela “Flor Sem tempo”.

 

Texto: Joana Dantas Rebelo; Fotos: redes sociais

Siga a Nova Gente no Instagram