internacional
John Galliano

Diz que foi agredido

Qui, 03/03/2011 - 10:10

O estilista britânico emitiu um comunicado onde garantiu ter sido provocado antes de ter proferido os insultos que ditaram a sua detenção.

Depois de ter sido despedido pela Casa Dior, devido ao vídeo divulgado onde surge a fazer comentários racistas e a assumir-se fã de Hitler, John Galliano decidiu emitir um comunicado onde explica a sua versão dos factos:

"Desde os acontecimentos da última quinta-feira à tarde estive impossibilitado de fazer qualquer comentrário público sobre o que aconteceu por conselho do meu advogado francês. Contudo, devido aos contínuos atrasos da procuradoria francesa eu tenho de esclarecer a minha posição.

Eu nego, completamente, as acusações feitas contra mim e tenho cooperado totalmente com a investigação policial.

Várias testemunhas independentes deram o seu testemunho e disseram à polícia que eu fui sujeito a assédio verbal e agredido, sem que o tenho provocado, quando um individuo tentou atingir-me com uma cadeira de forma violenta com base no meu visual e na minha roupa. Por estas razões abri um processo judicial por difamação e pelas ameaças que foram feitas contra mim.

Contudo, aceito totalmente que as acusações feitas contra mim tenham causado um enorme choque e perturbado as pessoas.

Eu tenho de assumir a responsabilidade das circunstâncias em que me encontro e por ter permitido a mim próprio ser visto a ter os piores comportamentos possíveis.

Só tenho de me culpar a mim próprio e sei que tenho de encarar os meus próprios falhanços e sei que tenho de trabalhar arduamente para ter a compreensão e a compaixão das pessoas. Para iniciar este processo eu vou procurar ajuda e espero encontrar as falhas que me levaram até estas circuntâncias e tentar merecer o perdão das pessoas.

Eu tenho lutado toda a vida contra o preconceito, intolerância e discriminação. Em todo o meu trabalho, a minha inspiração foi unir as pessoas de todas as raças, credos, religiões e sexualidades, celebrando a sua diversidade cultural e étnica através da moda. Isso continua a ser a luz que me guia.

Anti-semitismo e racismo não têm lugar na nossa sociedade. Sem qualquer reserva peço desculpa se ofendi alguém com o meu comportamento."

Siga a Nova Gente no Instagram