Documento
Emigrante em França

Enfermeira com 5 filhos revela o segredo para não «ficar maluca» de quarentena

Sex, 20/03/2020 - 12:16

Cátia Godinho é mãe de cinco filhos e conta à NOVA GENTE qual é o segredo para não «ficar maluca» durante a quarentena.

Ser a matriarca de uma família numerosa é, ao mesmo tempo, um sonho tornado realidade e o maior desafio da vida de Cátia Godinho, emigrante em França. A enfermeira deixou Portugal para realizar este objetivo. É mãe de Duarte, de 12 anos, Eva, de sete, Francisco, de quatro, Dinis, de dois, e Manuel, de oito meses. Agora, que está a tempo inteiro com eles em casa, partilha com a NOVA GENTE qual é o segredo da sua organização, já que está de quarentena obrigatória devido à pandemia Covid-19, mais conhecida por coronavírus.

O que fazer para (tentar) não enlouquecer durante esta quarentena com cinco filhos?

«Aqui em França estamos já em quarentena obrigatória. É um mal necessário nesta fase, e embora adore ter os meus pintainhos debaixo da minha asa, neste contexto as coisas podem facilmente descarrilar», começa por dizer-nos Cátia, enumerando algumas dicas essenciais para famílias numerosas.

Definir uma rotina

Segundo a enfermeira, as rotinas são fundamentais para pais e filhos. E começou logo a implementá-las no primeiro dia.

«É importante que eles participem. Nesse dia, cada um deu a sua opinião e ideias. Ficou decidido que, de manhã, acordam todos entre as oito horas e as nove. Eu não os vou propriamente acordar, mas a partir dessa hora não evito barulhos, começo por aspirar, brinco com o Manuel (o mai snovo) e assim vão acordando», explica.

Definir horas para tudo

Definir horas de trabalho, horas de refeições, horas de tarefas, horas de brincadeira, de sesta e tempo de televisão torna também tudo mais fácil e organizado nesta família.

«Claro que não são horários rígidos, o almoço está decretado ao meio-dia e meio, por vezes almoçamos um pouco mais cedo ou um pouco mais tarde, mas não fugimos muito a isto», conta.

Tarefas definidas

Segundo a enfermeira, cada um tem as suas tarefas «muito bem definidas, e obviamente adaptadas à idade. Foi importante perceberem que a sua participação é essencial na harmonia da família, pois pais sobrecarregados, são pais sem tempo e com pouca paciência para eles!», refere Cátia que reuniu toda a família no início da quarentena.

«Tivemos de ter uma conversa séria no fim de semana sobre isto, parece que compreenderam e, até agora, está a correr bem!»

Fazer ioga e meditação

Pode tornar-se uma tarefa difícil, mas, para a matriarca desta família, fazer ioga e meditação ajuda a manter a mente sã. «Algo que já queria fazer há muito tempo e aqui está a altura ideal!», revela.

Brincar em família

Seja em prédios ou moradias, não deixe de brincar com os miúdos. A profissional de saúde deixa a dica: «Como temos jardim e está bom tempo, todos os dias há brincadeira no exterior! Para dias de chuva (ou se não tivéssemos jardim) irei optar por fazer uma hora de brincadeiras “energéticas” como concursos de dança e de ginástica!»

Horários de escola

Cátia optou por manter a hora de jantar e deitar como se houvesse escola, por duas razões: «Para que consigam acordar sem dificuldades na hora estabelecida, e porque é o meu momento de calma! Me time!!! Não tenho tido cabeça para trabalhar, confesso, e preciso deste momento de “evasão”. Vejo um filme ou leio aquele livro sem ser interrompida trinta vezes em 10 minutos! Além disso, o pai sendo condutor de autocarros não está de quarentena e trabalha muito cedo. Por tudo isto, manter a hora de deitar foi imprescindível!»

Com os cinco filhos em casa e o marido a trabalhar, Cátia não consegue dedicar muito tempo ao trabalho, mas tem um truque: «Vou aproveitar para tentar fazer aquelas atividades com eles que ando há uma eternidade a adiar, aquelas receitas guardadas que quero muito experimentar, ou aquelas ideias de hobby que estão na gaveta há espera de haver tempo para experimentar!», diz. 

«Nestes tempos difíceis definam o que é importante para manter a harmonia na dinâmica da família, sejam criativos e... fiquem em casa!», conclui.

 

Texto: Filipa Rosa; Fotos: Gentilmente cedidas pela entrevistada

Siga a Nova Gente no Instagram