Nacional
Cristina Ferreira

Compara a SIC a “campo de batalha” e assume que se sentiu desvalorizada na TVI

Qui, 19/01/2023 - 19:40

Confissões bombásticas! Cristina Ferreira falou sobre a saída da SIC para assumir o cargo de diretora de Entretenimento e Ficção da TVI durante entrevista com Manuel Luís Goucha e explicou os motivos que a levaram a voltar para a estação de Queluz de Baixo.

Cristina Ferreira e Manuel Luís Goucha sentaram-se frente a frente no programa das tardes da TVI e o percurso televisivo da apresentadora foi um dos temas abordados. A convidada explicou os motivos da sua saída da SIC para a estação de Queluz de Baixo, tendo sentido que o tempo em que esteve no canal três foi encarado como um “campo de batalha”. 

A apresentadora admite que durante a altura em que esteve na SIC –  de 7 de janeiro de 2019 e 17 de julho de 2020 - fez parte de um “programa tão extraordinário”, isto é, o extinto “Programa da Cristina”. Contudo, a troca de canal surgiu como uma ‘bomba’ para tudo e todos, cujo objetivo resultou no cargo de diretora de Entretenimento e Ficção, assumido a 1 de setembro de 2020 até aos dias de hoje. “Eu mudo duas vezes, supostamente as pessoas achavam que eu estava muito bem. Saí da TVI e as pessoas não perceberam porquê. E depois não perceberam como é que eu estava a fazer um programa tão extraordinário, como é que abri aquela porta todos os dias com tanta felicidade e depois [saí]”. “E depois surge o convite e tenho a perceção que já tinha feito tudo ali [na SIC]”, esclareceu. 

“Eu queria voltar [à TVI]”, foram estas as palavras de Cristina Ferreira em conversa com Goucha. “E fazia-me todo o sentido. Tinha saído porque achava que não me valorizavam e achava que merecia um bocadinho mais. E, de repente, eles estavam a dizer: ‘nós também achamos, volta lá’“, acrescentou ainda a apresentadora sobre o retorno para o canal que a viu crescer. 

"Era apenas a minha vontade de fazer”

Sem rodeios, o anfitrião de “Goucha” quis também saber qual era a perceção de Cristina Ferreira acerca dos fãs que não voltaram consigo para a TVI, e se isso a levou a achar que a mudança tinha sido “errada”.  “Não acho que seja errada, era a minha defesa em relação a tudo aquilo que estava a acontecer. Se eu olhar agora, talvez, inconscientemente, não tenha percebido que às vezes as respostas que dava ou ter muita energia e muita garra não é compreendido por todos. Era apenas a minha vontade de fazer”, afiançou. 

“Estive durante muito tempo num campo de batalha. Acho que neste país se percebe o crescimento até um determinado ponto. Quando já passa de determinado ponto que não é possível de perceber… A Cristina tinha vindo do nada, a Cristina sozinha tinha feito o seu caminho, a Cristina tinha conseguido chegar lá, mas chegar lá não é chegar muito para lá”, atirou Cristina Ferreira. 

Além disso, também falou sobre os “lobos” da televisão, mas acredita que a tentativa de esclarecer os conflitos através de uma “conversa” não ajuda em nada e, por isso, assume-se preparada a “guerra”. “Ou os assusto, os lobos também têm medo, e vão embora, ou vamos à guerra a sério. E depois é deixa ver quem é que sai mordido, quem é que fica”, justificou. Continue a ler aqui. 

Texto: Carolina Sousa; Fotos: Redes Sociais 

 

Siga a Nova Gente no Instagram