Nacional
Carlos Castro Assassinado

Renato sentia-se 'preso'

Dom, 09/01/2011 - 22:19

Nos últimos telefonemas que fez à família, Renato Seabra disse que queria voltar para casa e que não queria ser comprado com "ambientes de luxúria".

No último telefonema que Renato Seabra fez à família, antes da morte violenta de Carlos Castro, terá dito: "Sinto-me numa prisão, estou farto, quero voltar para casa".

Segundo a irmã do modelo de 21 anos, em entrevista à SIC, Renato tinha apenas uma relação profissional com Carlos Castro e que lhe terá dito que "estava farto porque o queriam comprar com luxúria".

Recorde-se que, no aeroporto de Lisboa, a caminho de Nova Iorque, em declarações à TVI, a mãe de Renato Seabra disse: "O meu filho não faria isso", garantiu Odília Pereirinha, referindo-se ao homicídio de Carlos Castro.

A mãe de Renato Seabra, suspeito do assassinato do cronista português, explicou ainda que o filho "não era namorado do Carlos Castro. Ele, desde o primeiro instante, nunca escondeu a sexualidade dele, que é heterossexual".

Segundo a lei do Estado de Nova Iorque, o modelo de 21 anos enfrenta uma pena de prisão perpétua se for provado que assassinou Carlos Castro.

Siga a Nova Gente no Instagram