Internacional
Bento Xvi

5 segredos sobre o Papa

Qua, 28/04/2010 - 12:20

Antes da visita do líder católico ao nosso país, conheça a sua vida privada. É fã de Mozart e aprecia doces.

Nascido na Baviera, Alemanha, Joseph Ratzinger era filho de um comissário da polícia e de uma ex-cozinheira de hóteis. Ostentação e luxo não fizeram parte do seu crescimento, ao contrário do que se possa pensar. Foram valores como a religião e a disciplina que o transformaram no homem que é, como explica Aura Miguel, no livro "As Razões de Bento XVI".


Pouca simpatia pelo desporto

Tal como o irmão mais velho, Georg, ele foi estudar para o seminário de Traunstein, aos 12 anos, onde teve a disciplina obrigatória de desporto. "Todos os dias estavam previstas duas horas de desporto no grande recinto desportivo da casa. Esta circunstância tornou-se para mim uma verdadeira tortura, uma vez que não sou de forma alguma dotado para o exercício físico".

Infância ao som de Mozart

Desde criança que foi educado num ambiente musical clássico, normal para a época. O pai ofereceu-lhe uma harmónica, depois virou-se para o piano, instrumento que dominava. Com o irmão, assistia a concertos de Beethoven e Mozart "e muitos outros concertos inesquecíveis", relata Ratzinger. No entanto, era a música de Mozart que admirava. "Quando na nossa paróquia de Traunstein, nos dias de festa, tocavam uma missa de Mozart, para mim, qual menino pequeno que vinha do campo, era como se tivessem abertos os céus", transcreve Aura Miguel.

Discreto, pontual e com sentido de humor

Ao contrário de João Paulo II, o actual Papa "vive quase em regime de mostreiro", escreve Aura Miguel. Não recebe amigos, é discreto e pouco se sabe dele. A não ser a sua extrema pontualidade. Outra característica é o seu ligeiro sentido de humor, como o próprio explicou: "Saber ver o aspecto divertido da vida e a sua dimensão alegre, e não levar tudo tragicamente, isso, eu considero muito importante - diria até que é necessário para o meu ministério."

Simplicidade como filosofia de vida

De acordo com as palavras de Aura, Ratzinger é visto pelos amigos como um "homem muito simples, modesto, de grande paz e serenidade interior." Aliás, numa entrevista sobre a missão do bispo, Bento XVI responde. "A Igreja tem de denunciar os vícios e os perigos de uma época; tem de interpelar a consciência dos poderosos e também dos intelectuais e daqueles que vivem, de coração estreito e confortavelmente, ignorando as necessidades da época".

O pecado dos doces

Apesar de ter uma vida regrada, tem o seu ponto fraco nos doces, especialmente os de ovos, que Aura Miguel teve a oportunidade de presenciar. "Quando eu era criança, a minha mãe ensinou-me que, sempre que à mesa, eu ou os meus irmãos sujássemos o guardanapo, deveríamos, como castigo, pagar com um caramelo ou um doce".

Siga a Nova Gente no Instagram