Nacional
António Cordeiro

Amigo do ator faz atualização do estado de saúde: «A doença não evoluiu o que é ótimo»

Sex, 08/02/2019 - 20:40

António Cordeiro sofre de Paralisia Supranuclear Progressiva, uma doença que é muitas vezes confundida com Parkinson ou Alzheimer.

Foi em setembro de 2018 que António Cordeiro falou publicamente pela primeira vez acerca da dura batalha que enfrenta há cerca de dois anos contra uma doença incurável: uma Paralisia Supranuclear Progressiva.

Durante uma entrevista a Daniel Oliveira, na SIC, o conhecido rosto das telenovelas portuguesas falou abertamente sobre esta patologia, muitas vezes confundida com Parkinson ou Alzheimer, que lhe provoca rigidez nos músculos e que muito lhe tem condicionado a vida.

Esta quinta-feira, 7 de fevereiro, o nosso site esteve com o ator no Teatro Municipal Amélia Rey Colaço, em Lisboa, numa ação de solidariedade, organizada com o intuito de o ajudar monetariamente, uma vez que os tratamentos têm custos bastante elevados.

Orlando Henrique, amigo de António Cordeiro há mais de 40 anos, foi quem o acompanhou até à sala de espetáculos, uma vez que o artista vive com «muita limitação» e «não pode andar sozinho». «Tem necessidade de andar sempre acompanhado, porque a parte locomotora cria-lhe desequilíbrios», confessa-nos.

Mas, como vive António Cordeiro o seu dia-a-dia?

Bastante próximo de António Cordeiro desde a adolescência, Orlando revelou que o ator «todos os dias, praticamente, tem fisioterapia e terapia da fala».

«Esta doença afeta principalmente a parte locomotora... ele para a frente até anda bem mas quando se vira facilmente tem desequilíbrios», partilha.

«Quanto à parte emocional... claro que isto cria uma espécie de depressão, embora na parte mental ele esteja 100% lúcido, absolutamente consciente de tudo», assegura. Contudo, esta reviravolta na sua vida não tem sido de todo fácil. «Uma pessoa que tinha a vida que ele tinha e agora está limitado na sua ação, a parte emocional também fica afetada, não pela doença em si mas pelo estado em que ele está».

«A doença não evoluiu o que é ótimo, está estável»

Contudo, Orlando Henrique está seguro de que a tendência é para melhorar e que, «está bem apoiado na parte médica». «Está com medicamentos diários, anda sempre com a caixinha dos medicamentos... mas não existe nenhum medicamento nem tratamento específicos para esta doença. Ele foi ao médico esta semana e a doença não evoluiu o que é ótimo, está estável», disse de sorriso no rosto.

«Começo a sentir diferença nos últimos dois meses, tem vindo a melhorar muito muito, isto com o apoio de tudo: medicação, fisioterapia, apoio psicológico, medicamentos, com os amigos e a mulher, Helena. Não há um factor decisivo, há vários fatores», revelou. «Por isso eu estou aqui», disse, confiante no futuro. 

Ao lado de Orlando, para terminar a conversa, António Cordeiro quis dar uma breve declaração: «Estou melhor... que bom, ainda bem...», sorriu também com os olhos. 

Texto: Redação WIN - Conteúdos Digitais; Fotos: Impala e Reprodução Instagram

Siga a Nova Gente no Instagram