Nacional
Angélico Vieira

Relação do Porto rejeita indemnização à mãe do cantor

Sex, 23/10/2020 - 11:40

Tribunal da Relação do Porto determina que acusados por falsificar documentação de compra e venda de viaturas do cantor Angélico Vieira, após o acidente rodoviário que o matou em 2011, nada terão de pagar à sua mãe.

A primeira instância judicial de Matosinhos determinou, em 22 de novembro de 2019, que a mãe de Angélico Vieira teria de receber uma indemnização de cerca de 100 mil euros pelas viaturas Ferrari e Audi, mas os juízes desembargadores do Porto concluíram que havia «ilegitimidade da demandante [a mãe do cantor] para peticionar a indemnização», avança a agência Lusa, que teve acesso ao acordão.

Na leitura da defesa, sintetizada à Lusa pelo advogado Pedro Marinho Falcão, ficou «demonstrado o equívoco quanto a participação dos arguidos numa suposta burla em que assentava a construção do processo». No seu acórdão de quase 200 páginas, o Tribunal da Relação do Porto confirmou as demais decisões da primeira instância judicial, apesar dos recursos apresentados por todas as partes. A Relação referiu mesmo, a dado ponto do seu acórdão, que «é de louvar o esforço do tribunal de Matosinhos que, exaustiva e detalhadamente, nomeou e debateu todos os meios de prova produzidos».

Saiba mais em www.impala.pt

Angélico Vieira morreu a 28 de junho de 2011, na sequência de um trágico acidente de viação. O acidente fatal, que aconteceu na madrugada de 24 para 25 de junho, na A1, em Estarreja, deixou o cantor e ator em estado muito grave, tendo dado entrada no Hospital de Santo António, no Porto.

TVI foi rampa de lançamento para Angélico Vieira

Angélico Vieira estreou-se como ator na segunda temporada da série Morangos com Açúcar, em 2004, e tornou-se conhecido por interpretar a personagem David, que fazia parte da boy band D’ZRT. Da série, o grupo, composto por Paulo Vintém, Edmundo Vieira, Vítor Fonseca (Cifrão) e Angélico Vieira, construiu uma carreira de sucesso sem comparação em Portugal.

Os D’ZRT colocaram um ponto final na carreira em 2010 mas, mesmo antes disso, o artista lançou-se a solo, com o álbum Angélico. Em televisão, o ator integrou ainda o elenco de novelas como Doce Fugitiva, Feitiço de Amor e Espírito Indomável.

Na altura da morte do jovem, a agora ex-atriz Anita Costa era a namorada do cantor.

 

Siga a Nova Gente no Instagram