Nacional
Alexandra Solnado

Saudades do pai

Sex, 25/06/2010 - 16:18

Em entrevista à NOVA GENTE, fala do pai, Raul Solnado, e mostra fotos das viagens onde escreveu a nova obra.


Quando disse ao seu pai que ele estava curado qual a reacção dele?
Quando Jesus limpou o pulmão do meu pai, tudo isto ainda estava no início. Ainda nem tinha saído o primeiro livro. O meu pai não sabia de nada. Jesus insistia em que eu dissesse que ele estava curado. Tomei coragem, e disse. “Pai, não me perguntes como, mas estás curado.” O meu pai respondeu com o ar mais descontraído deste mundo: “Ainda bem que dizes isso, filha, porque amanhã vou fazer um TAC.” Quando saiu do exame e soube que um dos tumores desaparecera, quis saber de tudo e transformou­-se num dos maiores fãs do meu trabalho.

Um ano depois do seu pai partir, do que tem mais saudades?
Do cuidado. Ele ligava­-me várias vezes a saber como iam as coisas, dava conselhos, cuidava muito de mim e do projecto. Às vezes, ainda hoje, dou comigo a pensar: “Vou ligar ao pai para ver o que ele pensa disto.” Tenho muitas saudades.

Leia toda a entrevista na NOVA GENTE, nas bancas este sábado.

Siga a Nova Gente no Instagram