Nacional
Ágata

Da picardia com Laura Diogo às histórias dos bastidores com as Doce

Qui, 23/01/2020 - 19:48

Ágata fala sobre o novo Bem Bom, que retrata a história das Doce, e assume: «Aquilo que se passava nos bastidores de cor-de-rosa não tinha nada»

O filme Bem Bom, que retrata a história das Doce, já está a ser gravado e estreia a 25 de junho. A série chega à televisão pública em setembro e também haverá espetáculos ao vivo pelo País com as quatro atrizes que vão dar vida às cantoras da banda: Teresa Miguel, Laura Diogo, Helena Coelho e Fátima Padinha

Este projeto tem todos os ingredientes para ser um sucesso, no entanto, segundo a cantora Ágata, o filme «está incompleto».

«Se o filme é sobre o grupo, devia ser do princípio ao fim. E não é. Eu fiz parte das Doce e não sou retratada no filme, por isso acho que está incompleto», afirma a artista, revelando a explicação que a própria Teresa Miguel lhe deu para o seu nome não ser falado. «Segundo ela me disse, o filme acaba quando a Helena Coelho engravida, mas a banda ainda durou mais dois anos, por isso, na minha opinião, isso não faz sentido.»

«Aquilo que se passava nos bastidores de cor-de-rosa não tinha nada»

Ágata entrou para as Doce em 1984 e ficou até ao final, em 1986. «Quando a Helena voltou, a Fá saiu e eu fiquei no lugar dela», continuou. «Mas atenção, não quero que pensem que estou chateada por não falarem de mim. Nada disso! Eu tenho a minha carreira no mundo da música e felizmente não preciso, mas acho que é injusto», disse ainda.

Apesar de ter feito parte da banda, a cantora revela que não está curiosa para ver o filme, até porque acredita que este não vai contar toda a verdade: «Acho que vai ser muito cor-de-rosa… mas aquilo que se passava nos bastidores de cor-de-rosa não tinha nada, por isso acho que não devem mostrar tudo».

«Se calhar, por isso é que não falaram comigo… porque eu tenho muitas histórias para contar e elas não devem querer que eu fale. Devem ter tido receio que eu contasse o que se passava nos bastidores», afirma ainda Ágata, revelando que, entre os elementos do grupo, «o ambiente não era muito bom».

«A Laura Diogo era muito arrogante»

«Eu só tive uma picardia com a Laura Diogo. Ela era muito arrogante, tinha a mania que mandava, mas eu não gosto de comandantes», recorda, revelando ainda dois episódios que aconteceram e com os quais ficou «aborrecida».

«Foi marcado um concerto para as Doce irem atuar aos Estados Unidos e elas foram só as três. Acho que disseram que eu não tinha conseguido tratar do visto, mas isso não era verdade», diz. «Eu não achei aquilo bem e fui falar com o Tozé Brito, que era o produtor da banda. Quando elas voltaram, tiveram de me dar parte do cachet». 

Algum tempo depois, as Doce foram a um programa de televisão. «Não só não me disseram e foram só as três também, como levaram um casaco com um coração e com o nome da Fá».

Apesar das desavenças na época, Ágata ainda hoje mantém contacto com Teresa Miguel. «É a única com quem falo. Gosto muito dela, é muito boa pessoa. Com as outras não estou chateada, mas acabámos por nos afastar». 

Texto: Patrícia Correia Branco; Fotos: Impala e reprodução Facebook

Siga a Nova Gente no Instagram