Documento
A nova casa das seleções nacionais de futebol

"Esta é a nossa casa"

Qui, 14/04/2016 - 10:42

O sonho já era antigo, mas só agora foi concluído. Dezassete meses depois, resultado de um investimento de 15 milhões de euros, é no Alto da Boa Viagem, em Oeiras, que se instalou a Cidade do Futebol: o grande marco do futebol português. Todos os escalões de formação, dos sub-10 aos seniores, incluindo as equipas femininas, vão treinar por aqui.

Costuma dizer-se que a alma e o coração devem andar de mãos dadas. Só assim é que as coisas podem funcionar a 100%. Essa ideia foi a base para a construção da Cidade do Futebol, localizada no Alto da Boa Viagem, em Oeiras. Um sonho antigo de várias presidências da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), mas que só agora se transformou numa realidade. Ainda na década de 80, o então presidente da FPF, Silva Resende, já tinha planos para mudar a sede da organização e levá-la para mais próximo do Estádio Nacional, no Jamor.

Mais tarde, com Gilberto Madaíl como presidente, a FPF planeou a construção da Casa das Seleções, uma espécie de primeiro esboço do que viria a ser inaugurado no passado dia 31 de março. O projeto chegou a passar do papel para um terreno em Almargem do Bispo, em Sintra, mas acabou por não “ter pernas para andar”. Ficaram para trás dez hectares, três campos de relva e um de piso sintético, um hotel e um pavilhão coberto. Há quatro anos, o atual presidente da Federação, Fernando Gomes, voltou a dar força ao projeto.

Dezassete meses depois da aprovação da ideia, a casa desejada para as Seleções Nacionais de Futebol abriu as suas portas. Vai ser aqui que a alma e o coração das Seleções Portuguesas de Futebol vão unir-se. Já não é preciso andar de mochila às costas A inauguração da Cidade do Futebol permite acabar com as viagens constantes dos jogadores durante os estágios das Seleções Nacionais. É aqui que a equipa principal de Portugal vai treinar durante a preparação para o Euro 2016, que vai decorrer em França.

Em anos prévios, a equipa passou pelo Estoril, Estados Unidos da América ou Óbidos, considerado por muitos como o quartel central da equipa em 2004, quando era liderada por Luiz Felipe Scolari. “Além do treino, há um conjunto de questões logísticas que vão ficar mais facilitadas, que vão desde os equipamentos até à recuperação, com sauna, crioterapia e trabalho de ginásio, o que nos levava muitas vezes a pensar onde iria ser o estágio, qual o hotel que nos iria servir, quais os campos... Nem sempre conseguíamos tudo aquilo que queríamos e, a partir de agora, não temos esse problema, pois já temos a nossa casa”, disse o atual selecionador nacional, Fernando Santos, durante a cerimónia de inauguração.

Também o treinador da equipa de esperanças (sub-21), Rui Jorge, enaltece as condições que vão ser dadas aos jogadores e, acima de tudo, a possibilidade de existir uma maior ligação entre os mais experientes e os mais jovens. “Quando éramos jogadores da formação queríamos estar sempre junto dos mais velhos, das referências, e isso agora vai ser possível”, afirmou. Ao contrário de outros centros de estágios de seleções europeias, como Inglaterra ou Espanha, a Cidade do Futebol não tem, nem vai ter, um hotel localizado no seu interior. A opção deveu-se à oferta na zona, bem como aos custos inerentes, considerando a utilização que acaba por ser escassa ao longo do ano. Assim sendo, os jogadores que vierem treinar para este novo espaço irão ficar instalados nas unidades hoteleiras da zona. A cerimónia de abertura das portas da Cidade do Futebol contou com vá- rios ilustres convidados, mas a inauguração ficou a cargo do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que fez questão de relembrar o papel que as seleções têm hoje em dia e os valores que devem transmitir. “Milhões de portugueses veem nos nossos atletas os embaixadores de Portugal no mundo. Por isso, a Seleção tem nas suas mãos um quinhão importante da representação de Portugal.

Os portugueses, que estão a sair de uma profunda crise, apenas compreenderão a nova e impressionante realidade se ela tiver mesmo como função servir Portugal”, relembrou Marcelo Rebelo de Sousa durante o seu discurso. O Presidente da República fez ainda uma visita guiada pelas instalações, acompanhado pelo presidente da Câmara de Oeiras, Paulo Vistas, e pelo presidente da FPF, Fernando Gomes. Para as antigas estrelas da Equipa das Quinas, como Rui Costa e Ricardo, a Cidade do Futebol é o culminar de um conjunto de ideias que já vinham a ser faladas mas que, infelizmente, não se concretizaram enquanto eles ainda pisavam os relvados. “Não tivemos isto no nosso tempo. Ficamos felizes por ter sido feito agora”, afirmou o atual diretor desportivo do Benfica, que aproveitou para meter a conversa em dia com vários amigos e colegas de profissão, como os Campeões do Mundo Sub-20 de 1991 Tó Ferreira, Paulo Torres, Gil, João Oliveira Pinto, João Vieira Pinto, Abel Xavier e Nélson.

Várias outras figuras ligadas ao mundo do futebol e do desporto em geral estiveram presentes, como o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, bem como o presidente da Liga de Clubes, Pedro Proença (que referiu ter ficado “arrepiado”, no bom sentido, com o que viu), ou o patrão da Olivedesportos, Joaquim Oliveira. A Cidade do Futebol vai ser o quartel-general da Seleção Portuguesa de Futebol durante o estágio de preparação para o Euro 2016, a partir de 23 de maio. Até lá, vai receber a equipa nacional feminina, bem como os torneios dos escalões mais jovens.

Texto: Filipe Carvalho (filipe.carvalho@impala.pt); Fotos: Federação Portuguesa de Futebol e Impala


NG top Documento